MINHA CONTA
Fechar
Para continuar, acesse sua conta ou faça um cadastro rápido.
E-mail ou Login
Senha
Esqueceu a senha?
Não consegue se autenticar?

Para comprar ou vender Fechar

Seja bem vindo ao Permuta Livre.

Roupa Dança do Ventre a Venda

Encontre milhares de ofertas de Roupa Dança do Ventre usadas a venda no Permuta Livre. São milhares de anúncios publicados até 26/04/2017 e você pode comprar ou trocar diretamente com o vendedor. + continuar lendo

O que é Roupa de Dança do Ventre?

 

 

A dança do ventre é uma atividade feita especificamente para o corpo da mulher, e que trabalha também com os aspectos emocional e artístico da praticante. Os movimentos são sensuais e sem apelar para a vulgaridade.

A dança do ventre traz inúmeros benefícios, vamos citar apenas alguns:

Para o corpo: melhora a postura, enrijece a barriga e as pernas, define a cintura e melhora a flexibilidade.

Para a mente: aumenta a auto-estima e a auto-confiança, desenvolve a disciplina e a musicalidade, diminui o stress e resgata a feminilidade e a sensualidade.

 

A dança do ventre pode ser praticada desde a adolescência até a "melhor" idade, nessa fase a proposta é melhorar a qualidade de vida, proporcionar benefícios para a saúde, evitar a instalação ou piora do estado de depressão. Seus movimentos ajudam a melhorar a mobilidade articular e desenvolvem a confiança na movimentação.

 

A dança do ventre é uma atividade feita especificamente para o corpo da mulher, e que trabalha também com os aspectos emocional e artístico da praticante. Os movimentos são sensuais e sem apelar para a vulgaridade.

A dança do ventre traz inúmeros benefícios, vamos citar apenas alguns:

Para o corpo: melhora a postura, enrijece a barriga e as pernas, define a cintura e melhora a flexibilidade.

Para a mente: aumenta a auto-estima e a auto-confiança, desenvolve a disciplina e a musicalidade, diminui o stress e resgata a feminilidade e a sensualidade.

 

A dança do ventre pode ser praticada desde a adolescência até a "melhor" idade, nessa fase a proposta é melhorar a qualidade de vida, proporcionar benefícios para a saúde, evitar a instalação ou piora do estado de depressão. Seus movimentos ajudam a melhorar a mobilidade articular e desenvolvem a confiança na movimentação.

 

 

A Evolução dos figurinos de Dança do Ventre

 

 

Os figurinos utilizados na Dança do Ventre sofreram algumas modificações com o passar dos anos. Assim como a dança, sua vestimenta tem uma origem muito antiga. Podemos observar que, apesar de surgirem novas tendências de moda na Dança do Ventre, ainda podemos encontrar vários detalhes que seguem uma tradição.

 

Atualmente, os trajes de Dança do Ventre são mais "clean", ou seja, possuem menos enfeites e misturas de materiais. As roupas são elaboradas com foco específico nos materiais, aumentando sua sofisticação. Existem algumas diferenças de design e materiais de um País para outro. Fatores como economia, cultura, política e clima também podem influenciar nestas diferenças.

 

O importante é o figurino não perder sua tradição, respeitando sempre o estilo da Dança que será apresentada. Danças folclóricas exigem um figurino específico. Fatores como a música, movimentos especiais, instrumentos utilizados na Dança, motivação da coreografia e dos espetáculos, etc. devem ser analisados na elaboração do figurino. Além disto, é essencial observar características da personalidade da bailarina, pois é algo que ficará em evidência no momento da dança, exigindo um figurino adequado.

 

 

Lista das 10 melhores Roupas de Dança do Ventre

 

 

  • Roupa Olho De Horus para Dança Do Ventre
  • Roupa Dança Ventre Preta Atelier Sonia
  • Belldance - Lenço Danças Do Ventre, Tribal E Cigana E109
  • Lenço De Moeda Para Dança Do Ventre
  • Veu Wings Asas De Isis Furta Cor (cristal-borboleta)
  • Saia Scarf Em Moedas - Dança Do Ventre-cinto Faixa
  • Roupa De Dança Do Ventre Rosa Luxo
  • Túnica Khalige Para Dança Do Ventre
  • Saia Tribal Dança Ventre Atelier Soniavania
  • Roupa De Saidi - para Dança Do Ventre


Como funciona a Roupa de Dança do Ventre

 

Mas mais do que belos, brilhantes e sensuais, esse grande objeto de desejo e fascínio vem se transformando com o passar dos anos e podem cumprir vários papéis dentro da dança.

 

A função das roupas de Dança do do Ventre, nesse caso, é criar um conjunto. É atender a um determinado humor. É cumprir as expectativas do responsável pela criação artística daquela apresentação.

 

 

Para que serve as Roupa de Dança do Ventre

 

As roupas de Dança do Ventre no geral, precisam ser bem desenhadas, bem cortadas e bem adaptadas ao biotipo da bailarina, para que elas possam funcionar durante toda a sua apresentação.

 

Imagine que a bailarina vai ser vista de diversos ângulos, executando todo tipo de movimento, sob o olhar atento do público. O figurino tem que contar a favor da sua dona. Tem que ser um aliado fiel e resistente para que tudo brilhe até o último aplauso.



Dança do Ventre
 
 
A origem da Dança do Ventre é bastante polêmica, onde são muitas as versões e contradições. Uma das hipóteses mais aceitas é que ela tenha se originado no Antigo Egito vinda de rituais ligados à fertilidade da terra e da mulher.
 
Originalmente o nome da Dança do Ventre é Racks el Sharqi, cujo significado do árabe é Dança do Leste. Posteriormente este nome foi traduzido pelos franceses como Danse du Ventre e pelos norte-americanos como Belly Dance.
 
Chegou ao Brasil, portanto, como Dança do Ventre, ou Dança Oriental Árabe ou ainda Dança do Leste que seria a forma mais correta de chamá-la, de acordo com a tradução do árabe para o português.
 
Segundo SHAHRAZAD, a pioneira da Dança do Ventre no Brasil, Dança do Leste foi o nome dado a esta dança porque “significa onde o sol nasce, de onde a mulher recebe as energias e o poder do Sol”.

 

 

Tipos de Dança do Ventre


 

  • Dança com Véu: Um dos aliados do snujs, o véu é um acessório requisitado pelas bailarinas no objetivo de ocultar partes do corpo, cumprindo o papel fundamental de transmitir mistério, encantamento e sedução aos movimentos. Americanas e européias foram responsáveis por disseminar o uso do véu por outros países, principalmente no Brasil. Fabricados com tecidos leves como a seda, os véus produzem um efeito fantástico pela demora ao cair no chão, ondulando e desenhando no ar.

 

  • Dança dos Sete Véus: A bailarina começa a dança com sete véus amarrados no corpo, cada um de uma cor, correspondendo aos sete chakras. À medida que a bailarina dança, os véus vão sendo desamarrados um a um representando a abertura de cada chakra, a começar pelo chakra básico ou sexual e terminando no chakra coronário. Originalmente a dança dos Sete Véus, por ser ritual, era dançada vestindo-se apenas os véus. Porém atualmente se usa por baixo uma roupa comum de dança do ventre, de preferência branca ou lilás, simbolizando a transmutação.

 

  • Dança dos Cinco Elementos: É uma dança de devoção. Os cinco elementos são a água, a terra, o fogo, o ar e o éter. Cada um destes elementos tem movimentos específicos na dança que o simbolizam. De modo geral, o ar é dançado com os movimentos de véus; a água recebe ondulações de mãos, o movimento da sereia, o parto; a terra vem com o movimento de representação do crescimento de uma árvore; o fogo é representado por movimentos de serpente e ondulatórios de quadril, simbolizando a subida da kundaline, energia sexual; e o éter tem seu simbolismo no camelo, escolhido por passar longos períodos sem água ou alimentação em condições adversas, como se sua força viesse de uma fonte de energia não material.

 

  • Danças com acessórios: O snuj é formado de quatro peças de metal tipo castanholas. São também conhecidos como finger, címbalos e sagat. O snuj é um instrumento muito antigo. Tem mais ou menos 3.000 anos e era usado pelas sacerdotisas. Atualmente pode ser usado tanto pela bailarina que faz um solo como por um músico que a acompanha com seu conjunto. Existem vários tipos de snujs: grandes, pequenos, altos e baixos. Os baixos são considerados os melhores e fixam melhor nos dedos. Hoje, no Brasil, existem snujs com duas entradas para elástico que dão mais firmeza e permitem toques mais rápidos. Os snujs são tocados nas pontas dos dedos, com o elástico colocado na base da unha. Este instrumento requer muita prática e habilidade, principalmente quando a bailarina se propõe a tocar enquanto dança, e deve ser batido delicada mas rapidamente, para que o som saia claro e limpo.

 

  • Dança do bastão: Antigamente, todo fazendeiro do Alto Egito tinha um bastão. Com ele, dançavam nas festas, com movimentos bem másculos que mais pareciam uma luta que uma dança. De brincadeira, as mulheres começaram a dançar satirizando os homens. Com o tempo, a dança do bastão feminina se consolidou. Por ter origem na dança masculina, não utiliza passos muito sutis ou femininos. É dançada em um ritmo chamado said. Said significa alegre, feliz. A bailarina deve dançar sorrindo muito e transmitindo muita alegria a quem estiver assistindo. O traje típico para a dança do bastão é um vestido justo com lenço amarrado na cintura, onde podem ser penduradas moedas. Porém, não é um traje obrigatório. A dança do bastão é a dança mais esperada nas festas árabes.

 

  • Dança da Espada: Existem duas teorias. A primeira, conta que, na antiguidade, as mulheres roubavam as espadas dos guardiões do rei para dançar, no intuito de mostrar que a espada era muito mais útil na dança do que parada na cintura deles ou fazendo mortos e feridos. A segunda diz que, na época, quando um rei achava que tinha muitos escravos, dava a cada um uma espada para equilibrar na cabeça e dançar com ela. Assim, deveria provar que tinha muitas habilidades. Do contrário, o rei mandaria matá-lo. O certo é que, nesta dança, a bailarina deve saber equilibrar com graça a espada na cabeça, no peito e na cintura. É importante também escolher a música certa, que deve transmitir um certo mistério. Jamais se dançaria um solo de Derbak com a espada.

 

  • Dança com Incensário: Os incensários são utilizados com o intuito de simbolizar as sacerdotisas que os empregavam para iniciar os rituais nos templos sagrados.

 

  • Dança com Lenço: Originalmente sob o nome de Meleah Laff, o lenço enrolado surgiu no Egito. Geralmente, as dançarinas o adornam com um vestido, um lenço preto e um chaddor, que serve para cobrir o rosto e retira-se no decorrer da apresentação. O vestido deve tampar a barriga e ser colado ao corpo e pode ser bordado ou não. As bailarinas desse estilo costumam mascar chiclete, já que as tradicionais egípcias mascavam uma goma de miske e também para dar um ar de brincadeira à dança. As músicas são bastante festivas e seguem ritmos Malfuf e Falahi.

 

  • Dança com Serpentes: Considerada sagrada no Antigo Egito, a cobra é intencionalmente utilizada para se fazer alusão à essa época, representando a energia e consciência, mas não representa um símbolo da dança. As vestimentas tendem a imitar a cor da serpente. Geralmente, utiliza-se duas cobras na performance, para não estressar o animal.

 

 

Benefícios da dança do ventre

 

Além de ser extremamente sensual, a dança do ventre cria uma harmonia incrível entre corpo, movimentos e música. Impossível não ficar impressionado.

 



Lista dos Princiais Benefícios:
 
 
  • Corrige a postura
  • Modela o corpo
  • Eleva os seios
  • Diminui a barriga
  • Arredonda o quadril e os glúteos
  • Tonifica os músculos da coxa e da panturrilha
  • Dá flexibilidade
  • Aumenta a capacidade respiratória
  • Melhora o funcionamento do aparelho digestivo e dos rins
  • Auxilia no bem estar
  • Ajuda a desenvolver a autoestima

 

 

Fontes:

azizamahaila.blogspot.com.br

maisequilibrio.com.br

adrianabrida.blogspot.com.br

educacaofisica.seed.pr.gov.br

mercadolivre.com.br

Comentários sobre Roupa Dança do Ventre

Vídeo sobre Roupa Dança do Ventre

Twitter
Roupa Dança do Ventre
https://www.youtube.com/embed/Ufk5M8CugyI
Roupa Dança do Ventre