MINHA CONTA
Fechar
Para continuar, acesse sua conta ou faça um cadastro rápido.
E-mail ou Login
Senha
Esqueceu a senha?
Não consegue se autenticar?

Para comprar ou vender Fechar

Seja bem vindo ao Permuta Livre.

Comida Japonesa

Encontre milhares de ofertas de Comida Japonesa usados a venda no Permuta Livre. São milhares de anúncios publicados até 16/09/2019 e você pode comprar ou trocar diretamente com o vendedor. + continuar lendo

O que é Comida Japonesa?

 

A culinária japonesa está entre nós. Não é por menos: São Paulo é a maior colônia japonesa fora do Japão e os restaurantes típicos podem ser encontrados  em quase todas as grandes cidades brasileiras. Seja para comer em um restaurante típico ou para preparar em casa, é uma cozinha fascinante e cheia de detalhes. Neste guia, você vai conhecer um pouco mais sobre ela. A culinária eventualmente passou por um processo de evolução com o advento da Idade Média, que marcou o início da expansão do elitismo com a era do domínio Xogum. No começo da era moderna, mudanças significantes ocorreram, resultando na introdução de elementos de culturas não-japonesas, principalmente da cultura ocidental, no Japão.

O termo culinária japonesa significa a comida japonesa tradicional, semelhante àquela existente antes do final do sakoku política de isolamento do Japão, em 1868. Em um sentido mais amplo, pode incluir alimentos cujos ingredientes ou métodos de preparo foram posteriormente introduzidos do exterior, mas que foram desenvolvidos por japoneses de forma diferente. A cozinha japonesa é conhecida por dar importância à sazonalidade dos alimentos, qualidade dos ingredientes e apresentação. O Guia Michelin concedeu mais estrelas aos restaurantes das cidades japonesas do que para qualquer outro país do mundo. A culinária tradicional japonesa é dominada pelo arroz branco e poucas refeições seriam completas sem ele. Qualquer outro prato servido durante uma refeição - peixe, carne, legumes, conservas é considerado como um acompanhamento, conhecido como okazu. É utilizado um tipo de talher diferente, denominado hashi. Originário da China, consiste em dois pequenos bastões de madeira, plástico ou metal.

 As refeições tradicionais recebem seu nome de acordo com o número de acompanhamentos que vêm junto do arroz e da sopa. A refeição japonesa mais simples, por exemplo, consiste de uma sopa, um acompanhamento. Isto quer dizer que a refeição é composta de sopa, arroz e de algum acompanhamento normalmente um legume em conserva. O pequeno-almoço ou café da manhã japonês tradicional, por exemplo, normalmente é constituído de missoshiru (sopa de pasta de soja), arroz e algum legume em conserva. A refeição mais comum, entretanto, é conhecida por ichijū-sansai, ou por sopa, arroz e três acompanhamentos, cada um empregando uma técnica de culinária diferente. Estes acompanhamentos normalmente são peixe cru (sashimi), um prato frito e um prato fermentado ou cozido no vapor  ainda que pratos fritos, empanados ou agri-doces podem substituir os pratos cozidos. O Ichijū-sansai normalmente se encerra com conservas como o umeboshi e chá verde.

 

Lista dos melhores Comida Japonesa

 

 

  • Missoshiro 

  • Yakissoba
  •  Tempura 

  • Gyoza 

  • Teriyaki 

  • Sukiyaki  

  • Yakitori  

  • Sashimi

  •  Sushi

  • Uramaki 

  • Norimaki  

  • Hossomaki  

  • Niguiri  

  • Temaki 

 


Como funciona o Comida Japonesa

 

A cozinha japonesa foi muito influenciada pela China, desde os séculos 8 e 9. Nesta época, foram introduzidos os hashis (palitos de madeira) e o shoyu (molho de soja). No século 13, o zen budismo pregava uma dieta vegetariana, o que influenciou o povo da época a consumir menos carne e aves. Mas como o Japão é uma ilha e tem uma grande costa, o hábito de comer peixe e outros frutos do mar continuou. A partir do século 19, com a abertura dos portos japoneses e a chegada dos diplomatas ocidentais, chegaram os ingredientes estrangeiros, como algumas frutas e vegetais, e aconteceram mudanças nos modos de cozinhar tradicionais.

 

As refeições japonesas são sempre muito bem arrumadas e coloridas, pois, mais do que ninguém, os japoneses sabem que também se come com os olhos. Um bom cozinheiro sempre vai tentar dar o ?ar da estação? aos pratos, com ingredientes que só podem ser encontrados em uma determinada época do ano, pois eles acreditam que os alimentos devem ser consumidos sempre frescos. Ao contrário dos ocidentais, a separação dos pratos não é feita pelo ingrediente principal (carne, peixe ou legumes, por exemplo), mas sim pelo modo de preparo (cozido ou frito, por exemplo). Nos restaurantes, porém, geralmente encontramos os pratos separados por ingrediente para facilitar a nossa escolha.



Para que serve o Alimentos: Comida Japonesa



Uma refeição tradicional conta sempre com muitos pratos servidos em porções pequenas, cada um em uma tigela individual. Estas porções podem parecer pequenas aos olhos ocidentais. O que é apenas impressão, pois a variedade é grande. E podem ser comidas sem seguir uma ordem específica. A refeição mais comum é a que tem uma sopa, arroz branco e três acompanhamentos, que podem ser carne, vegetais, cozidos ou bolinhos. Uma curiosidade que pode parecer estranha aos nossos olhos: o típico café da manhã japonês é composto por missoshiro, arroz branco e um legume em conserva.

 

Um longo caminho foi percorrido antes que a cozinha do arquipélago chegasse à sofisticação dos sashimis, sushis e outros pratos admirados no mundo inteiro. As frituras dos europeus do século 16, por exemplo, transformaram-se em tempurá. Essa tradição que busca alimentar os cinco sentidos chegou ao Brasil e se transformou nas mãos dos imigrantes e de chefs brasileiros. O chef Ayao Okumura, professor da Universidade de Kobe, provou algumas delas e sugere: “melhorem as técnicas e reexportem o sushi ao Japão, onde hoje falta criatividade para novos modos de prepará-lo”.



Introdução do arroz

Um dos marcos inicial da culinária japonesa foi a introdução do arroz no arquipélago em 2500 a.C., proveniente do sul da China e península coreana. Antes, os japoneses viviam da caça, pesca e coleta. Mais tarde, nasceu a agricultura do grão que até hoje é base da alimentação do país. A cultura do arroz é tão forte no Japão, que a palavra arroz (gohan) significa tanto a comida quanto uma refeição, assim como no Brasil se diz café da manhã. Hashi e saquê - Por volta do século 5, a economia passou a se basear no arroz. Presente não só no dia-a-dia, os bolinhos de arroz (moti) e o saquê passaram a marcar festas como a do ano-novo. Do intercâmbio com o continente, o Japão absorveu elementos culturais como os ideogramas e, na culinária, o uso do hashi e do kôji (fermento para missô).

 

Carnes proibidas - A partir da metade do século 7, surgiram várias leis contra o consumo da carne de aves, porco e boi. Já o coelho e o javali eram permitidos em raras situações. A proibição não chegava ao frango, mas o consumo era pequeno. A única carne liberada era a de peixe, o que incentivou seu consumo. Influência européia - Portugueses e espanhóis chegaram ao arquipélago trazendo o cristianismo e a permissão para comer carne de vaca. Além disso, chegaram as frituras em óleo e os doces. Essa culinária é chamada de “nanban”, ou “dos bárbaros do sul”, e foi uma das mais fortes influências, responsável pela introdução do milho, batata-doce, abóbora e pimenta vindos da América.

 

Benefícios de Alimentos: Comida japonesa



A verdadeira culinária japonesa, tradicional, é uma das mais benéficas que existe. O que falamos até agora é com relação ao fast food japonês, que é a nossa referência. A culinária japonesa tradicional é rica em peixes, crus ou grelhados, possui muitos legumes cozidos, no vapor ou crus, arroz e feijão azuki (um excelente tipo de feijão, com mais nutrientes que o nosso carioquinha ou o preto). Por exemplo a alga, que envolve os sushis e os sashimis são ricas em cálcio.

 

“Os peixes contribuem para o aumento dos níveis do Ômega 3 no organismo que auxilia na diminuição dos níveis de triglicerídeos e colesterol ruim (LDL), e aumentam os níveis do colesterol bom, (HDL). As porções pequenas, típicas da culinária japonesa, estimulam a mastigação e o consumo de forma mais calma, esse tempo de mastigação induz o cérebro a emitir sensação de saciedade antes do estômago ficar completamente cheio”, explica a nutricionista. “Além de ser uma ótima e indispensável combinação com peixes crus, a raiz forte (wasabi) ajuda no processo digestivo e é altamente bactericida. Ele é rico em potássio, cálcio, magnésio e fósforo, assim como óleos voláteis, como o óleo de mostarda e, por isso, oferece benefícios à saúde por apresentarem propriedades antibióticas”



Fonte: 
http://gshow.globo.com/programas/mais-voce/O-programa/noticia/2013/08/pele-bonita-e-baixos-indices-de-colesterol-os-beneficios-da-comida-japonesa.html
http://portalnippon.com/vida-e-estilo/culinaria/gastronomia-japonesa-origem-e-evolucao-de-uma-das-mais-apreciadas-culinarias-do-mundo.html
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/culinaria-japonesa-saborosa-tradicao-ne-435861.shtml

Comentários sobre Comida Japonesa

Vídeo sobre Comida Japonesa

R$  79,90
Temp
Data do anúncio:
09/06/2016
Twitter
Comida Japonesa
https://www.youtube.com/embed/8GLKsTZYKoE
Comida Japonesa